sexta-feira, agosto 12, 2005

Não se pode infrigir a lei militar

Repreensão, faxina, prisão ou reforma compulsiva, são só algumas das sanções em que incorrem 107 militares das Forças Armadas, por se terem manifestado fardados, junto à residência oficial do primeiro-ministro, em Lisboa – um acto irreflectido, ou não, que agora lhes pode custar a liberdade ou as carreiras. “Possivelmente tinham razões para actuar, mas não se pode infringir a Lei Militar” – afirma o General Loureiro dos Santos.

Mas que cumpridores estão eles agora, esquecem-se que da última vez que os militares se aborreceram com condições laborais... tivemos um golpe de estado...